As melhores histórias da semana (2 a 8 de abril)

Olá, e bem vinda(o)!
Essas foram as 3 melhores histórias publicadas no Ribon durante a ultima semana (2 a 8 de abril). Para ler mais boas histórias e ainda ajudar quem mais precisa com doações diárias e gratuitas, baixe o Ribon!

Boa leitura, e ótima semana! ♥


Moradores de Igrapiúna (BA) ministram oficinas sobre seus saberes e fazeres quilombolas
Publicado em Razões Para Acreditar

A comunidade quilombola da Laranjeira, no município de Igrapiúna, vai mergulhar em sua própria cultura para multiplicar e registrar seus saberes e fazeres, durante o projeto Comunidade da Laranjeira: Memória Quilombola no Baixo Sul da Bahia. A localidade rural é dotada de tradições e práticas culturais ancestrais, como danças e cantos da Zabelinha e o Enrolador; artesanato à base de cipó, como cestos, panacuns, manzuás e samburá; além das práticas agrícolas estabelecidas com base na relação entre cultura e meio-ambiente.
Leia o texto completo




Gangsta gardener: ele combate o racismo plantando comidas saudáveis em LA

Publicado em Hypeness

Os efeitos do racismo e da desigualdade social entre brancos e negros nos EUA, pode ser percebido em pontos diversos, especialmente no que diz respeito ao acesso a premissas fundamentais para uma melhor qualidade de vida. Um estudo indica que, enquanto 31% da população branca americana vive em áreas com um ou mais supermercados acessíveis, somente 8% da população negra pode comprar com facilidade uma comida de qualidade. Fica claro, assim, que existem dois sistemas de alimentação diferentes no país – e é essa desigualdade, que provoca surtos de obesidade entre a população negra, que Ron Finley combate – e o faz plantando.
Leia o texto completo



Tese de brasileira sobre cerrado ganha prêmio no Reino Unido
Publicado em Só Notícia Boa

O trabalho sobre o cerrado da bióloga brasiliense Thaís Vasconcelos ganhou o prêmio de “melhor tese de doutorado em biologia do Reino Unido”. O prêmio é dado por uma instituição onde Charles Darwin apresentou a teoria da evolução em 1858. A pesquisadora de 29 anos formada pela Universidade de Brasília, UnB, recebeu a medalha John C. Marsden há duas semanas pela Linnean Society de Londres, uma das mais antigas e renomadas instituições do país inglês. A premiação é equivalente à concedida anualmente, no Brasil, pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
Leia o texto completo


 

Baixe o app e leia mais boas histórias todos os dias 🙂

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *